PF faz buscas na casa de José Serra e bloqueia R$ 40 milhões na Suíça



O Ministério Público Federal (MPF) denunciou, nesta sexta-feira (03 de julho), o ex-governador e atual senador José Serra e sua filha, Verônica Allende Serra, pela prática de lavagem de dinheiro transnacional. 

Segundo a denúncia oferecida pela força-tarefa Lava Jato de São Paulo, José Serra, entre 2006 e 2007, valeu-se de seu cargo e de sua influência política para receber, da Odebrecht, pagamentos indevidos em troca de benefícios relacionados às obras do Rodoanel Sul. Milhões de reais foram pagos pela empreiteira por meio de uma sofisticada rede de offshores no exterior, para que o real beneficiário dos valores não fosse detectado pelos órgãos de controle. 

As investigações, conduzidas em desdobramento de outras frentes de trabalho da Lava Jato de SP, demonstraram que José Amaro Pinto Ramos e Verônica Serra constituíram empresas no exterior, ocultando seus nomes, e por meio delas receberam os pagamentos que a Odebrecht destinou ao então governador de São Paulo. Neste contexto, realizaram numerosas transferências para dissimular a origem dos valores, e os mantiveram em uma conta de offshore controlada, de maneira oculta, por Verônica Serra até o final de 2014, quando foram transferidos para outra conta de titularidade oculta, na Suíça. 

Operação Revoada – Paralelamente à denúncia, a força-tarefa também deflagrou, nesta data, a operação Revoada para aprofundar as investigações em relação a outros fatos relacionados a esse mesmo esquema de lavagem de dinheiro em benefício de José Serra. Com autorização da Justiça Federal, oito mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em São Paulo (SP) e no Rio de Janeiro (RJ). 

Até agora, a força-tarefa já detectou que, no esquema envolvendo Odebrecht e José Serra, podem ter sido lavados dezenas de milhões de reais ao longo dos últimos anos. Com as provas colhidas até o momento, o MPF obteve autorização na Justiça Federal para o bloqueio de cerca de R$ 40 milhões em uma conta na Suíça.


Fonte: Folha Politica

FACEBOOK CENSURA SITES INDEPENDENTES


Estamos diante de uma forte censura, arbitrária e seletiva, responsável por reduzir o alcance de páginas provocando graves prejuízos para sites independentes, tanto financeiros quanto de tempo de dedicação na produção de conteúdo, propagação e estratégia de comunicação na referida rede social.


A rede social facebook censurou e bloqueio o domínio www.tvitabaianinha.com da TV ITABAIANINHA junto com postagens de notícias verídicas, algumas que teve como fontes, citada nas matérias o portal G1, Receita Federal do Brasil e a Agência Brasil, a plataforma alegou no bloqueio que as últimas notícias compartilhada na plataforma eram spam.

As noticias foram compartilhadas em nossas paginas no facebook e no grupo da TV ITABAIANINHA, tambem em alguns grupos que fazemos parte como usuario, o espam é uma mensagem eletrônica que chega ao usuário sem a sua permissão ou sem seu desejo em recebê-lo. Geralmente são recebidas por e-mail, mas também podem circular pelas redes sociais ou comentários de blogs. O SPAM tem um fundo geralmente comercial, mas também pode assumir um viés criminoso.
Na maioria dos casos, a mensagem de SPAM promove algum produto ou serviço. Mas, em outras situações, ele tem o objetivo simplesmente de difundir histórias falsas, conhecidas como “hoax” ou conseguir os dados financeiros e pessoais dos usuários.

vejam as sequências de postagem que foi censurada pela plataforma facebook, e tire suas próprias conclusões.



3 - Operação Ásia: investigação revela fraude bilionária na importação de produtos asiáticos ( Essa matéria teve como fonte a Receita Federal )




Entramos em contato com o facebook para tentar entender o que aconteceu e ate o momento não nós retornarom. 
Leia o ter da mensagem que enviamos ao facebook;

Gostaria de ter direito de resposta e tentar entender o motivo o qual as postagens compartilhada para o facebook foi considerada spam? O facebook bloquiou o link do site www.tvitabaianinha.com por considerar que as mesmas é spam, que na verdade são notícias verídicas, e acontecimentos reais, inclusive uma dessas matérias foi produzida pelo portal G1 (Aglomeração durante show em fazenda de deputado termina em caso de polícia), onde citamos no site a fonte da notícia. Esta outra matéria também foi considerada spam (CBF sinaliza que abertura do Brasileirão 2020 pode ser em 9 de agosto) essa matéria foi produzida pela Agência Brasil e também citamos a fonte, essas e outras foram apagadas pelo facebook por achar que se trata de spam! Se existe um erro ou algo que se possa resolver e concertar? Busco um entendimento junto ao facebook. Somos um site independente e sem vínculos políticos! Nosso domínio está sendo criminalizado, acuado ou até mesmo censurado ao ser impedido a participar do facebook.. esse é nosso sentimento! Somos contra a propagação de notícias falsas, não permitimos em nosso grupo no face TV ITABAIANINHA que seja compartilhada fake news ou notícias de ódio ou outros assuntos imoral. aguardando um entendimento.

Censura: é a desaprovação e consequente remoção da circulação pública de informação, visando à proteção dos interesses de um estado, organização ou indivíduo. Ela consiste em toda e qualquer tentativa de suprimir a circulação de informações, opiniões ou expressões artísticas.


Brasil e EUA só falam em ‘Parler’ — a rede social ‘contra censura’ na internet

A rede social Parler é apresentada como uma alternativa focada na liberdade de expressão ao Facebook e Twitter – e segue crescendo cada vez mais.

Desde a sua fundação em 2018 por John Matze e Jared Thomson — a plataforma agora está atraindo uma variedade de comentaristas de direita, políticos e apoiadores de Donald Trump, além de oferecer um refúgio seguro para qualquer pessoa que deseja compartilhar suas opiniões políticas ou religiosas sem correr o risco de ser censurado.

A plataforma assegura ser uma “entidade orientada à liberdade de expressão” e alega não compartilhar dados com terceiros, dizendo: “Não somos reguladores. Não somos governadores. Somos uma comunidade. Parler aceita o seu direito de expressar seus pensamentos, opiniões e ideais online”.

Matze e Thomson disseram que criaram a plataforma depois de ficarem “exaustos com a falta de transparência na grande supressão tecnológica e ideológica”.

Nos últimos meses, menções sobre Parler dispararam na internet após ondas de censuras no mundo inteiro por parte do Facebook e do Twitter.

Segundo a Forbes, a plataforma afirma ter mais de um 1 milhão de usuários.

O layout do Parler é semelhante ao Twitter, usando ‘ecos’ em vez de retweets e permitindo que outras contas deem gorjetas ou ‘votem positivamente’ nas postagens de que gostam, como a seção de comentários do Reddit.

Uma variedade de hashtags populares é vista no canto superior da página principal.


Ao se inscrever, a Newsweek mostra a opção de personalizar um perfil seguindo portais como Conexão Política,Tv Itabaianinha entre outros.



Fonte: Conexção Politica


Bolsonaro sanciona lei de auxílio financeiro para a cultura na pandemia

Miha Barbu


Espaços culturais estão vazios desde março, deixando setor sem importantes fontes de renda


O presidente Jair Bolsonaro sanciona, com veto, a Lei 14.017, de 2020, que libera R$ 3 bilhões em auxílio financeiro a artistas e estabelecimentos culturais durante a pandemia de covid-19. Os recursos serão repassados a estados, Distrito Federal e municípios, que devem aplicá-los em renda emergencial para os trabalhadores do setor, subsídios para manutenção dos espaços culturais e instrumentos como editais e prêmios. A lei foi publicada nesta terça-feira (30) no Diário Oficial da União.

Fonte: Agência Senado


Operação Hemera investiga fraudes em programa do Governo Federal

Imagem: PF


Agricultores utilizavam notas fiscais adulteradas para receber seguro


Passo Fundo/RS - A Polícia Federal deflagra, na manhã desta terça-feira (30/6), a Operação Hemera, que investiga fraudes no Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (PROAGRO) do Governo Federal.


Cerca de 30 policiais federais cumprem 9 mandados de busca e apreensão nos municípios de Passo Fundo, Ijuí, Tapera e Salto do Jacuí.


A investigação teve início em 2019 para apurar possíveis fraudes na obtenção do seguro agrícola, referentes às safras dos anos de 2016 e 2017.


Os agricultores, após obterem financiamento agrícola através dos Programas Federais PRONAF e PRONAMP, alegavam perdas na produção e utilizavam notas fiscais de aquisição de insumos adulteradas para então receber o seguro. Diligências realizadas identificaram que um grupo de empresas e pessoas físicas forneciam essas notas fiscais aos agricultores.


Os crimes investigados são falsificação de documento particular, uso de documento falso e tentativa de estelionato.


A operação foi denominada Hemera, deusa mitológica grega que representa o Sol, o ciclo da manhã e a fertilidade da terra.



Fonte: PF